Vou contar a vocês que, em um passado não muito distante, eu tive – isso não faz mais parte da minha vida – um papel importante na escolha das rainhas de bateria das escolas de samba. Eu fazia o meio de campo entre as escolas e as celebridades. Fui eu, por exemplo, que convidei Sabrina Sato a ser rainha de bateria da Vila Isabel em 2011. Também fui o responsável por levar Cláudia Leitte ao posto de rainha da Mocidade, em 2015, e, praticamente, obriguei Anitta a desfilar no mesmo ano como musa da escola.

Isso tudo me dá gabarito a usar do humor para descrevê-las num evento em que todas estavam reunidas. Foi isso o que eu fiz, com muito humor, na madrugada da última terça-feira.