A modelo Najila Trindade, que acusa Neymar de tê-la estuprado em um hotel em Paris no dia 15 de maio, falou em entrevista ao Domingo Espetacular, da Rede Record, que acreditou que seu nome seria mantido em sigilo, conforme assegurado em lei a pessoas envolvidas em investigações de crime sexuais.

“Acreditei na lei. Achei que meu nome ia ficar em sigilo. Sigilo. Eu confiei. Eu jamais imaginei que eu estaria na internet e exposta para todo mundo.

Até porque isso é um crime. Está tudo distorcido, tudo errado. Minha vida virou do avesso. Eu tento gritar, mas ninguém me escuta”, disse Najila